‘Eu vim para servir e não para ser servido’

‘Eu vim para servir e não para ser servido’

Em entrevista para o nosso site, o fisioterapeuta Marcelino Vizeu conta sobre sua experiência na Seleção Brasileira de Beach Volley e do tempo que serviu a ex-presidente Dilma Rousseff

Por: DJL Comunicação

Fisioterapeuta de formação, Marcelino Vizeu Calvo atua na área de esporte de alto rendimento desde 2000, quando iniciou sua carreira no vôlei de quadra pela UNEB/APCEF durante a Superliga.

Posteriormente, mudou de esporte e foi trabalhar com o futebol, no time Gama de Brasília, pela série A do Campeonato Brasileiro, permanecendo até 2005. Com o afã de repassar seus conhecimentos, até 2011, permaneceu como docente da UniCEUB nas disciplinas de Fisioterapia Esportiva, Cinesiologia e Ortopedia. Entretanto, a competição sempre batia à sua porta e no mesmo ano foi convocado para a Seleção Brasileira Masculina de Vôlei de Praia. Dois anos depois, só mudou de gênero e participou da equipe de preparação das duplas femininas para as olimpíadas de 2016.

No Centro de Treinamento Beach Volley High Performance, Vizeu atua na identificação das alterações mecânicas do movimento das atletas durante a prática esportiva. “Nossa equipe trabalha no diagnóstico cinético-funcional. O que é isso? Através de testes específicos e metodologia própria da fisioterapia, procuramos descobrir a causa dos problemas, a origem da dor. Ou seja, localizamos os desequilíbrios musculares, as diferenças de forças mecânicas que atuam no corpo humano, sobrecarregando articulações, ligamentos, tendões, ossos e músculos. Tudo isso é agregado à rotina de pesquisas científicas.”, explica.

Aos 41 anos, Marcelino é casado com Litania com quem tem dois filhos: Max de 10 anos e Thor de 6. E ele revela que essa paixão pelo esporte, especificamente pelo vôlei, veio da sua mãe, Maria Aparecida, que jogou no Botafogo e Flamengo junto com as talentosas Isabel e Jaqueline.

“Eu brinco muito dizendo que não fui para seleção como atleta, mas realizei o sonho como fisioterapeuta. Cheguei a disputar o campeonato brasiliense, mas preferi focar nos estudos, pois não conseguia conciliar. Resolvi me espelhar nos profissionais que as confederações e federações americanas, européias e australianas buscam: elas agregam “knowhow” do ex-atleta com o conteúdo teórico do profissional. Foi assim que cheguei ao meu objetivo.”, conta entusiasmado.

Atendimento a Presidente e sua equipe – De 2012 a 2017, o fisioterapeuta também atuava na equipe da COSAU/PR, que prestava atendimento de saúde para a ex-presidente Dilma Rousseff, o vice-presidente, ministros do estado e servidores do Palácio do Planalto. Logo depois, Vizeu foi parar na Secretaria de Esporte e Turismo do Governo Federal – DF, onde está até hoje coordenando o Núcleo de Fisioterapia Esportiva (NUFE/GDF), concomitante com as funções no CTBVHP.“É sempre um prazer e uma honra poder servir meu país, seja atendendo atletas de alto rendimento, o presidente da república e os cidadãos normais. Meu lema sempre foi que eu vim para servir e não para ser servido!”, conclui o fisioterapeuta.

Notícias Internacionais

Leave a Reply

Your email address will not be published.